Biotecnologia Azul

Investigadores da Faculdade de Engenharias e Ciências do Mar, da Universidade de Cabo Verde participaram no segundo Curso prático de trabalho em coleções de cultivo de microalgas no Banco Espanhol de Algas (BEA), de 1 a 13 de Agosto, no âmbito do projeto REBECA . O primeiro curso decorreu de 12 a 14 de Setembro de 2017.

Cabo Verde vai ter um banco de microalgas no âmbito do projeto REBECA – Rede de Excelência em Biotecnologia Azul na região da Macaronésia (Canárias, Açores, Madeira e Cabo Verde).

O projeto é financiado pelo programa MAC-Interreg 2014-2020 de Cooperação Territorial e participam os sócios: Banco Espanhol de Algas (FPCT-ULPGC), Instituto Tecnológico de Canárias (ITC), Universidade de Açores, Universidade de Madeira, Universidade de Cabo Verde e Universidade de Ciências, de Tecnologia e de Medicina de Mauritânia.

O projecto REBECA, que teve o seu lançamento em janeiro de 2017, propõe a criação de uma plataforma de colaboração entre diferentes regiões da Macaronésia e NE de África para consolidar uma rede de excelência em biotecnologia baseada na economia azul, especificamente na biodiversidade de microalgas, através da integração e criação de colecções e depósitos de material genético de algas.

Cabo Verde participa no projeto como país terceiro, representado pela Uni-CV, beneficiando de financiamento para remodelação de infraestruturas para acolher o Banco de Algas de Cabo Verde (BACV), equipamentos, reagentes e formação.

Neste momento Cabo Verde está na fase de criação das infraestruturas ao mesmo tempo em que investigadores são formados nessa área e se dão os primeiros passos na bioprospecção, isolamento e identificação de cepas locais.

O BACV será instalado na Faculdade de Engenharias e Ciências do Mar, em Mindelo,  tendo sido disponibilizada uma sala para esse efeito.

Numa segunda fase do projeto segue-se a identificação de cepas locais que tenham um valor acrescentado com o objetivo da sua aplicação na cosmética, medicina e indústria alimentar.

Os resultados do projeto beneficiarão pequenas  empresas de biotecnologia que poderão surgir na área de alimentos, nutracêuticos, cosméticos e saúde ; os principais setores da agricultura (biofertilizantes, biopesticidas) e aquicultura (alimentos, moléculas funcionais); e, direta ou indiretamente, o setor de serviços turísticos, graças ao uso racional dos recursos naturais e ao fornecimento de produtos locais.

Para mais informações: http://www.proyectorebeca.eu/pt/

 

Participantes no curso

Nome: Neusa Pinheiro,

Função:  docente e investigadora da Uni-CV

Formação: Licenciada em Engenharia Química

Msc.  Recursos do Mar e Gestão Costeira

Doutoranda em Oceanografia e Gestão de Recursos Marinhos

 

Nome: Débora Coelho

Aluna de licenciatura em Ciências Biológica na Faculdade de Engenharia e Ciências do Mar

 

Nome: Isabelle Sousa de La Torre

Aluna de licenciatura em Ciências Biológica na Faculdade de Engenharia e Ciências do Mar